segunda-feira, 18 de outubro de 2010

VERDADES

"O sono" - Salvador Dali

Procuro-te incessantemente
Tu vens e nego-te!
Nego-te a meus olhos cegos
E em minha boca muda
Nego-te pela dor que me causas
E a aparência que me custas
Nego-te por todo mundo
E suas vãs desculpas
Nego-te por não aceitar ser assim
Tu vens e nego-te sim!

Mas não me deixes por esta fragilidade
Não quero acreditar que este o fim
Sempre nego-te por tudo
E algo mais que nem digo
Mas prefiro a dor severa das verdades
A uma vida inteira fugindo.

14 comentários:

Kenia Cris disse...

Gente, casa nova, coisa linda, poesia belíssima como não poderia deixar de ser. Bem vindo ao blogger, espero que você fique bem por aqui. Agora pelo menos posso ser sua tiete abertamente. Beijo sempre carinhoso, querido Pablo!

Machado de Carlos disse...

Aplaudo também seus belos versos!
Agradeço-lhe pela sua bela companhia entre os nossos blogs.
Um grande abraço, meu amigo!

VIEIRA, Vanessa Gonçalves disse...

Novo por aqui? Seja bem vindo. Adorei ter encontrado teu blog. Seu poema é belissimo e sua descrição é perfeita. Também escrevo para que saibam de mim e me digam quem sou. Adorei isso!!!! beijos

Cris de Souza disse...

contundentemente belo.

(agradeço sua visita ao trem)

Sônia Brandão disse...

Seja bem-vindo. Gostei do novo espaço e também da sua visita.

bj

José Carlos Brandão disse...

Parabéns pelo novo blog. O nome já diz tudo: viver em palavras. O escritor tem dupla vida: a do homem comum que é, e a que vive em palavras - que também tem sangue, e sofre, e se alegra, e tem todas as emoções e sensações humanas.
Abraços.

Mirze Souza disse...

Adorei o novo blog e seu layout de extremo bom gosto!

O poema fantástico inaugura uma nova etapa.

Sucesso e muita paz, Pablo!

Beijos

Mirze

Lara Amaral disse...

Vou aonde vc estiver, querido poeta.

Beijo. =)

Ava disse...

Quantas saudades eu já tinha, das tuas palavras, dos teus versos sentido. É bom voltar sempre para o convívio dos amigos.

Adorei o teu novo espaço e espero que aqui sejas muito feliz.

Beijinhos doces, Ava

Renata de Aragão Lopes disse...

Já te sigo também aqui!

Espaço incluído
entre as "delícias alheias"
que acompanho e recomendo!

Beijo,
Doce de Lira

JB disse...

"Não escrevo para que me entendam. Escrevo para que saibam de mim e assim, talvez, me digam quem sou."

E é também assim que vejo a poesia, não a explicação de algo mas a raiz espelhada de vivências, sonhos, de palavras escorridas da pele semeadas na alma de quem escreve, de quem as lê e as colhe um pouco ao seu jeito.

Por isso é bom que a procura incessante das verdades seja poesia... :)... como a que acabei de ler.

Beijinho

Rayuela disse...

búsqueda incesante
huída y negación
pero la verdad se impone...
y (tal vez) el sueño


hermoso poema
besos*

Carlos de Thalisson T. Vasconcelos disse...

Depois deste poema, já me arrependo do "blê blê blê" que eu deixei no primeiro. Perdão. Escreve muito bem.

Um abraço.

Alberto Marques disse...

não há como fugir!