segunda-feira, 22 de novembro de 2010

POEMETOS III


Romero Britto

ACONTECER

Não escrevo poesia.
Ela é que me acontece
e traz em si todo predicado
de qualquer acontecimento.

A mim, espectador dos versos,
cabe a tradução da palavra acontecida.
[E toda sua experiência].



ÁGUA FRESCA
                                                              (A Ronaldo)

Basta! Disse o tio mais moço
Chega do suor de cavar este poço
Traga-me a bacia vazia e a maleta
Vou pra lá onde se fazem nuvens:
Também quero beber d’água fresca.

14 comentários:

Carla Diacov disse...

que coisa!
)desculpe a expressão...
fiquei mesmo sem palavras!(



mas sigo seguindo-te!

Domingos Barroso disse...

Dois grandes poemas:
um revela a perplexidade
do próprio engenho (em ser gerado) enquanto o segundo suspira aos céus dádivas da criação. É claro que o poeta vive e está presente
no meio das palavras.

Forte abraço,
talentosíssimo poeta.

Malu disse...

Oi , Pablo !


Dois lindos poemetos ...


:)


Obrigada por sua presença e
palavras gentis.

Bjo de Boa Noite !

Ingrid disse...

Que delícia Pablo!
já estava com saudades de ti!
beijos.

Mirze Souza disse...

Pablo!

É sempre sublime o ato da criação. Quando vem de um poeta como você, at[e as nuvens sentem sede.

Magnífico!

Beijos

Mirze

Valéria Sorohan disse...

Todos lindos. O último me encantou mais, pois fala de liberdade.

BeijooO'

Rayuela disse...

son las
palabras
las que
juegan
con nosotros.
(y vamos hacia el agua fresca)

un beso*

JB disse...

E como espectadora destes poemas... o que levo é água fresca!

Obrigada!

Beijinho

Livinha disse...

Sim Pablo, não vamos atrás dela reunindo letrinhas, elas chegam até nós, inspirações de mala vazia, na espreita de que possamos nela transborda-la de palavras e poemas...

É muito bom se embriagar dos teus versos, tão reais e reflexivos.

Bjs

Livinha

Rafael disse...

Gostei dos poemas, meu caro!
Abraço

Lua Nova disse...

Bom beber dessas palavras e sentir a alma fresca e leve...

Fiquei encantada com "Acontecer"...
É a síntese do que acontece quando escrevo... as palavras me encontram e me dizem o que querem... mas eu jamais saberia dizer isso como vc o fez: magistralmente.

Saudades de vc, moço.
Beijokas e um lindo fds.

dade amorim disse...

Muito bons seus poemas, Pablo.
Um abraço por eles.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Estive fora, voltei, e te vejo nos blogs das minha amigas. Vim conferir...né.

Valeu a pena, ainda agora estava lendo lá na Tania "espero que um verso se inscreva em mim". Senti essa sincronicidade dos sentimentos, na sua tradução da palavra acontecida. Muito bom!

Malu disse...

Pablo,


Pois também digo :
aqui é tudo de muita
qualidade ... :)


Bjo.