segunda-feira, 29 de novembro de 2010

VOA


"Carnaval de Arlequim" - Miró


                                                                                                          (A Renata)

Dentre as coisas que jamais entenderei,
refuto a linguagem doce de teus olhos.
Esta hipnose desconexa que me causas.
Este sabe lá o que, irresistível e pernicioso.

Refuto desconhecer tuas falas silenciosas
gritando a mim tão frenética e docemente,
que desfaleço, bobo, como estrangeiro à
tua malicia de encaixar-me onde queres.

Assim, choro não entender teu propósito louco
de salvar-me do analfabetismo sentimental,
por querer manter egoisticamente aqui,
ao ínfimo alcance do que vejo e toco,
o todo que me dedicas em qualquer canto.


13 comentários:

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah, queria alguém que me salvasse do analfabetismo sentimental, uma re nascida....
Que bom isso, alguém que se reconhece anlfabeto, recebendo tanto, em todo canto. Quem não precisa desses anjos?

Lua Nova disse...

Que lindo isso... acho que todos nós precisamos ser salvos... uns do analfabetismo sentimental, outros do saber demais do mesmo amor... a primeira estrofe me fez "rever" alguém que eu amei muito, e cujos olhos me causavam essa hipnose.
Encantadora poesia... talvez vc precise ser salvo do analfabetismo sentimental, mas tua expressão sentimental vai de vento em popa.
Sinceramente, adorei.
Beijokas.

Lara Amaral disse...

Maravilha de ritmo, de versos, de desvario!

Beijo.

Ingrid disse...

sentindo falta de ti Pablo..
resgate de amor é tudo de bom... e tuas palavras o fizeram ainda melhor querido poeta!
beijo carinhoso..

Malu disse...

Pablo ,


Maravilhosa tua poesia.
Te ler é bom demaisssssssss !!!
:)

Bjo e um dia Feliz.

Mirze Souza disse...

Pablo!

Quase uma prece onde o amor é o tema!
Esse resgate e a associação ao analfabetismo sentimental, fizeram a maestria do poema!

Agora sou eu que me rendo!

Beijos, poeta!

Mirze

Assis Freitas disse...

gosto dessas baladas aladas,


abraço

Valéria Sorohan disse...

Existem poesias que explicam tudo, longe de ser dicionário, explicam pela limpeza das palavras.
Amei!

BeijooO*

Rayuela disse...

afortunada Renata por recibir tales versos!

besos*

Livinha disse...

Seja egoista e queira sim.
Esse analfabetismo sentimental, são as glorias que salva a gente.
Tão bom sentir o amor, ao toque e retoque e vive-lo plenamente

Lindo Pablo, sempre a encantar os teus versos

Bjs

Livinha

valéria tarelho disse...

Moço, passadinha mega rápida só para avisar que você está participando de um sorteio lá no textura.

Beijo,
v

Cris de Souza disse...

ai, gamei! envolveu-me por inteira....

Ma-ra-vi-lho-so!!!

Shirley disse...

Voltei,Pablo...Não dá mais para ficar longe desse mar de poesias...