terça-feira, 11 de janeiro de 2011

FLOR AZUL



Romero Britto



Uma flor azul anil
Infinita, indivisa
Trina, imaculada
Nascida em rocha bruta
Onde a terra finda
Onde faz o mundo
E se desenham sois
Luas
E se cria tudo
E no tudo, um vento
Branco, alado
Sábio, esperançado
Espalhando o pólen
De uma flor azul anil
Infinita, indivisa
Trina, imaculada
E sobre a terra
Flores diversas
Escuras, claras
Róseas, liláceas
Concebidas à semelhança
De uma flor azul anil
Infinita, indivisa
Trina, imaculada
Tão deformadas
Manchadas, marcadas
Que desce a rocha bruta
Onde a terra finda
Onde faz o mundo
E se desenham sois
Luas
E se cria tudo
E no tudo, a salvação
A flor azul anil
Infinita, indivisa
Trina, imaculada
E se mistura aqui
Em coroa de espinhos
E se faz finita aqui
Em coroa de espinhos
E desfalece aqui
Em coroa de espinhos
E retorna à rocha bruta
Onde a terra finda
Onde faz o mundo
E se desenham sois
Luas
E se cria tudo
E no tudo, heresia
E estória
E conto
E poesia
Infinita, indivisa
Trina, imaculada.
 

14 comentários:

Ingrid disse...

Que linda flor azul Pablo..
versos suaves..
beijo.

Assis Freitas disse...

a flor fez floração na página,


abraço

Rayuela disse...

maravilloso poema circular!
me gusta mucho como jugaste con las imágenes y las repeticiones.Amo tu flor azul,concebida historia, cuento, poesía

un beso*

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
PABLO

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...

Mirze Souza disse...

Pablo!

Vê porque o admiro? Um poema em flor, em via crucis, um sacro poema, que sai e volta à terra deixando rosáceas em nossa imaginação!

Imaculado, infinito, indiviso, trino POEMA!!!!!

Aplausos, poeta!

Beijos

Mirze

Shirley disse...

Que bom, Pablo, voce nos brinda com versos tão lindos, sempre. Um abraço, poeta!

Lúcifer [ O que leva a luz ] disse...

Que timbre poético! De onde vem a sua inspiração? Abraço!

Tania regina Contreiras disse...

O que ia na alma do poeta? Não sei..Os versos trouxeram memórias perdidas de mim mesma. Ah, sim, a poesia é ponte. Atravesso-te. Belo poema, Pablo. E você se renova sempre e surpreende.
Grata pela partilha e lembranças trazidas.
Beijos

João disse...

Versos muito bem produzidos Pablo.
Parabens

JB disse...

Sente-se o abrir da flor, perante os sóis e as luas, sente-se o seu aroma vestido de azul...
Lendo e relendo as palavras vão semeando novas flores, um jardim imaculado de poesia!

Parabéns,Pablo!

Beijinho

Adriana Karnal disse...

Gagarin já disse: a terra é azul...tua poesia é infinita, indivisa,trina, imaculada.

Livinha disse...

Nascem, crescem, produzem, envelhecem e ao fim quedam arrefecidas...
Circulo da vida, como bem exteriorizas-te.
Lindo Pablo semprre o teu dom poetico e certeiro nessa visão plena de tua'lma.

Bjs

Livinha

Tania regina Contreiras disse...

Menino poeta, onde andas que não nos fala? Saudades dos seus versos!
Abraços,

Renata de Aragão Lopes disse...

Que bonito!

Beijo,
Doce de Lira