segunda-feira, 16 de maio de 2011

POESIA SEM TÍTULO

Romero Britto


I

Enfim lhe chegara a órbita da vida
E teus pés tocam levemente esta terra batida
Bem ali, no andar de baixo
A quatorze degraus desajustados
Não mais que quinze ou dezesseis movimentos
Descompassados.

Concreto, tangível, palpável
Tudo tão perto de perder o sentido
Que o medo lhe faz companhia
É nessa hora que o segredo se revela:
Não é fácil viver aquilo que era magia.

7 comentários:

Meire disse...

Obrigada pela visita. Tu escreves muito bem =) Parabéns!!!
Lindo blog, bjs, Meire.

C. disse...

Será poderíamos entitular "magia perdida"?

ॐ Shirley ॐ disse...

Às vezes, a realidade chega de maneira inexorável e perde-se então, o encanto pela vida...Gosto muito dos seus poemas, querido Pablo.

Lara Amaral disse...

Na hora de sentir a terra sob os pés descalços, a mente estranha a realidade que desperta o corpo.

Ótimo poema!

Beijo.

Rayuela disse...

se reveló el secreto, acabó la magia.


besos*

MIRZE disse...

UAU Pablo!

Demora, mas quando escreve vem derrubando degraus, medos e fazendo magia com palavras.

EXCELENTE!

Beijos

Mirze

Livinha disse...

Quanto não foi dito nesta tuas palavras...
Profundo entre falas amordaçadas..

Nossa, sem mais palavras...