sexta-feira, 20 de maio de 2011

POETA E POESIA


Eitoku kano


Se não posso falar-te
Que te escrevas sempre.
E imortalizando meus dizeres
Compreendas que te quero mais...
Bem mais que qualquer arrebol mentiroso
Anunciando aos nostálgicos teu fim...

Que tal fim não exista em nós
Mesmo que não possa ver-te.
Se assim for, que te sintas como hoje
E eternamente um pouco a mais do que esperavas
Por que esperar é certeza de algo por vir
Como se existir fosse... Daqui pra frente.

Que assim seja!
Daqui pra frente e avante e sempre.
Pois se não posso falar-te
Que te escrevas... Sempre.
E se não posso ver-te
Que te sintas... Como hoje
Eternamente.

Até que não mais exista o que sou
O que somos...
Ou teu sentido pereça à mercê do desdém.


9 comentários:

Lara Amaral disse...

Que a poesia exista sempre de forma passional dentro de nós que a vivemos.

Ótimo, Pablo!

Ingrid disse...

sempre sentida em qualquer expressão..é o ser e ter nas mãos..
perfeito Pablo.
beijos.

Bemsei disse...

Não conhecia...e gostei do que li...gostei mesmo.
Vive-se poesia, respira-se sentimento...
Ficaria aqui....

MIRZE disse...

Que coisa linda, Pablo!

Quem não se comoverá com este poesia?

Beijos eterno poeta!

Mirze

Adriana Aleixo disse...

A vantagem de ser poeta é essa: poder sentir e escrever...Sempre!
Excelente, bjo!

Rayuela disse...

vivir
en
poesía


besos*

ॐ Shirley ॐ disse...

O amor e a poesia existirão sempre, desde que haja a sensibilidade e a destreza de um poeta para traduzi-los. Um beijo, Pablo!

Ju Fuzetto disse...

Que bom que tens a poesia, escrita assim em teus olhos, grudada em tuas mãos, derretida em tua alma!


Que coisa mais linda. Parabéns.!
voltarei mais vezes!

beijo

Tania regina Contreiras disse...

Clarice Lispector disse que falar salva...Se não falamos, salva-nos escrever: como sempre, muito belo poema, Pablo!
Beijos,