quinta-feira, 27 de outubro de 2011

SEM TÍTULO


Sopra, aguda, a pétala
Despetalai...
Bem me quer, mau me quer
um grão, um sopro, um ponteiro,
um abrir de pálpebras a mais.
Tanto a mais...

Tanto faz...
Esta louca salinidade
a percorrer a face amarga.
As marcas, os sedimentos,
o rio que corre desavisado
Ao mar...

Amar...
Irrigar quão rosa alheia, incolor
invisível, tormentosa.
Tanto faz...
Apenas sopre, aguda, a pétala
de toda existência
Despetalai...

Ps.. Esta é a capa do meu primeiro livro... É uma grande realização!

4 comentários:

Adriana Aleixo disse...

Êta moço sumido! Ainda bem que você apareceu... Saudades! Lindo poema, de umlivro que também amo e guardo com muito carinho!

Dê-nos sempre a honra da sua graça...

Bjo!!!

Livinha disse...

Parabéns Pablo
Excelente capa, linda e bem colocada a não se por em dúvida do que vai nas páginas viradas, quão grande sensibilidade soltas em tuas palavras...

Abraços e feliz domingo

Livinha

Fátima disse...

Pablo!!

Quanto tempo, mas como assim, você lança um livro e nem me avisa?!!..rs

Você foi o primeiro a me seguir a me incentivar, tenho um carinho especial por tua atitude.
E no momento estou muito orgulhosa desse livro e quero ele em minhas mãos.
Parabéns!!
Me faça uma visita.

Beijo meu

Rayuela disse...

despetalar la vida...


felicidades por el libro!

abrazo*