quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

CURUPIRA

The Acrobat - Pablo Picasso


Quisera a existência fixar-se no horizonte
Como pêndulo em sol a pino:
                                                Meio dia que foi
                                                Que há de ser.

Atrás, resta a sombra vazia apenas copiando o rumo
Num rastro em terra batida de tudo que foi.

Importa-nos sim:
Pés virados no caminho traem a direção
Hesita;
Perde a hora;
Quebra a linha;
O zig zag;
O balanço.

A tarde se vai sem dono então.
Fica o tempo em que toda respiração
Fez-se monóxido.

Até novo dia...

6 comentários:

Ingrid disse...

sorver o dia que finda..
belíssimo Pablo..
saudades!
beijo perfumado..

Adriana Aleixo disse...

Pablito,

Vejo que você voltou com força total!

Lindo poema recheado de imagens poéticas.

Beijo!

ॐ Shirley ॐ disse...

É gratificante ler um poema desses...Beijo, Pablo!

MIRZE disse...

Pablo!

Cada poema seu é metrificado de magia e luz.

Espero que o novo dia chegue logo.

Beijos, poeta

Mirze

Machado de Carlos disse...

A vida se escreve, fala, canta e segui seu rumo tão somente!

Abraços, amigo!

Lorena Viana, disse...

Sua espiritualidade me inspira. Passei por aqui pra ficar feliz lendo você.
Desejo uma abençoada semana, repleta de muito amor.
Beijinhos carregado de afeto!
Lorena Viana.
pequena-prendiz.blogspot.com