sábado, 22 de dezembro de 2012

SÁBADO DE MANHÃ


Procuraria o verbo no tempo certo:
aos sábados pela manhã
feito resenha do sétimo dia.

Querer encontrar é quase nada
quando persistem os movimentos
circulares.

Eles traem a vontade
confundem o sentido quase
desnecessário da caminhada.

Preferiria retas se curvas
não fossem a lentidão
cabível a evolução.

De dias tão iguais em que o vento
leva e adiciona imperceptivelmente
grãos ao, sempre novo, monte de areia.

Procuraria sim o verbo no tempo certo
se existisse o tempo certo e procurá-lo
não fosse encontrá-lo em si:
Procuraria se não estivesse vivo.